Cancelar
Acesso CNTV

Bancários paralisam 4.191 agências em todo o país no primeiro dia da greve

28Set

Em ) - 13 15 a

Nesta terça-feira (27), primeiro dia da greve nacional, os bancários paralisaram 4.191 agências e centros administrativos de bancos públicos e privados em 25 estados e no Distrito Federal. O balanço foi feito pela Contraf-CUT a partir dos dados enviados pelos sindicatos até as 18h. Os bancários de Roraima estão realizando assembleia na noite desta terça e deverão se juntar ao movimento nesta quarta.

Os bancários entraram em greve por tempo indeterminado após a quinta rodada de negociações com a Fenaban, ocorrida na última sexta-feira, dia 23, em São Paulo, quando foi recusada a segunda proposta de reajuste de 8% sobre os salários. Em relação aos outros itens da pauta dos bancários como saúde, segurança, mais contratações, fim do assédio moral, entre outros, os bancos disseram não para todas as reivindicações.

Os bancos, na verdade, empurraram os bancários para a greve em uma atitude irresponsável do setor que lucrou 27 bilhões apenas no primeiro semestre desse ano e que têm todas as condições de atender a pauta dos trabalhadores.

Veja as principais reivindicações da categoria:

Remuneração - Reajuste de 12,8% - PLR- Plano de Cargos e Salários em todos os bancos.- Vale-refeição, cesta-alimentação, 13ª cesta e auxílio creche/babá iguais ao salário mínimo (R$ 545).- Auxílio-educação para todos os bancários.- Previdência complementar para todos os bancários.

Emprego - Contratação de mais bancários;- Fim das terceirizações.- Ampliação do horário de atendimento para das 9h às 17h com dois turnos de trabalho;- Tempo de até 15 minutos de espera nas filas nos dias normais;- Proteção contra a dispensa imotivada, combatendo a rotatividade

Igualdade de oportunidades - Igualdade na contratação, remuneração e ascensão profissional.- Realização de um novo censo para avaliar os resultados dos programas implantados pelos bancos para combater a discriminação.- Prorrogação automática da licença-maternidade de quatro para seis meses, sem necessidade de solicitação por parte da bancária.- Condições de acessibilidade nas agências tanto para bancários como para clientes com deficiências.

Saúde do trabalhador - Fim das metas abusivas e combate ao assédio moral.- Participação dos trabalhadores na fixação das metas, que devem levar emconsideração o tamanho, a localização e o perfil econômico das dependências, e não podem ser individuais.- Fim da divulgação de rankings individuais sobre cumprimentos de metas.- Suspensão do trabalho em espaços físicos em reforma.- Manutenção do salário e demais direitos no período de afastamento porproblemas de saúde.

Segurança bancária - Assistência médica e psicológica às vítimas de assaltos, sequestros eextorsões.- Emissão da CAT para quem esteve no local de assaltos e sequestros.- Fechamento das agências após assaltos, consumados ou não.- Porta de segurança, câmeras com monitoramento em tempo real e vidros blindadosem todas as agências e postos.- Biombos entre a fila de espera e os caixas e divisórias individualizadas entreos caixas internos e os eletrônicos para combater "saidinha de banco".- Proibição ao transporte de valores e à guarda das chaves das unidades pelos bancários.
Fonte: SEEB Floripa com informações da Contraf-CUT

0 comentários para "Bancários paralisam 4.191 agências em todo o país no primeiro dia da greve"
Deixar um novo comentário

Um valor é necessário.

Um valor é necessário.

Um valor é necessário.Mínimo de 70 caracteres, por favor, nos explique melhor.